,

31 outubro 2010

Fatal frame

De longe, um dos melhores jogos de terror que eu já joguei até hoje e que promete grandes doses de sustos.

Fatal Frame, conhecido como Project Zero, na Europa e na Austrália, e Zero (em japonês, isto é um trocadilho; este kanji é normalmente lido como rei, que também significa "fantasma") no Japão, é uma série de jogos de survival horror, com quatro jogos principais. O primeiro e o segundo jogo da série foram lançados para PlayStation 2 e X-box, enquanto o terceiro jogo foi lançado apenas para o PlayStation 2 e o quarto jogo é exclusivo para Nintendo Wii. A série consiste em exorcismos, rituais xinto e, acima de tudo, fantasmas.

Criado pela Tecmo, Fatal Frame é dos jogos de survival horror mais bem recebidos na atualidade. O principal objetivo no jogo é resolver um mistério que está ligado às antigas superstições japonesas. Os principais inimigos que o jogador terá de enfrentar são fantasmas; alguns amigáveis, mas a maioria não é. A sua única forma de defesa é a Camera obscura, que permite ao jogador exorcisar os fantasmas tirando fotografias deles, selando seus espíritos no filme.






Fatal frame [2001]

Nove dias se passaram desde que Mafuyu Hinasaki, irmão de Miku Hinasaki, desapareceu. Tudo isso começou há um mês atrás. A mídia noticiou que o novelista Junsei Takamine havia desaparecido enquanto fazia pesquisas para a criação de sua nova novela, e Mafuyu, um aspirante à jornalista, percebeu que tinha algo errado. Mafuyu, então, decide começar a procurar por Junsei, e essa busca o leva a uma mansão abandonada. A Mansão Himuro localiza-se silenciosa e imponente, embrenhada numa floresta. Uma lenda dizia que essa mansão pertenceu à um rico latifundiário, que tinha o controle absoluto da área. Mas agora, a mansão não passa de uma sombra destruída pelo tempo.

Ao que Mafuyu explora a mansão, ele acha recados em papéis escritos pelo próprio Junsei e sua equipe. Esses recados remetiam um número de eventos misteriosos que aconteceram no passado negro da mansão. Para descobrir mais sobre o que aconteceu com a mansão e com Junsei, Mafuyu se embrenha cada vez mais na mansão, e percebe que ele não está sozinho.

Miku foi para a Mansão Himuro para achar seu irmão. E ela não fazia idéia no que estava se metendo.

Fatal frame II - Crimson butterfly [2003]

Mio Amakura e sua irmã gêmea, Mayu Amakura estão visitando o lugar onde passaram a infância pela última vez. Aquele lugar, um esconderijo secreto para as irmãs, será engolido por um lago no fim do verão. Perdida em suas lembranças, Mio finalmente levanta o rosto e percebe que Mayu desapareceu. Procurando por ela, Mio encontra sua irmã seguindo uma borboleta vermelha para o fundo da floresta.

Mayu foge pela floresta, como se fosse conduzida pela borboleta. Ao que ela corre, seu corpo começa a ser tomado por uma mulher vestida de branco.

Correndo atrás da irmã, Mio se encontra sozinha em uma montanha coberta de névoa. Carregada pelo vento, uma triste canção é escutada por ela, e ela começa a notar luzes de festa presas nas árvores da floresta.

Como se aceitasse o convite silencioso, Mio segue o caminho das luzes. Então, quando a floresta se abre em uma grande clareira, é Mayu que está lá de pé, sozinha, cercada por incontáveis borboletas vermelhas.

"Mayu?"

Respondendo ao chamado da irmã, Mayu lentamente começa a se virar. As borboletas começam a dançar como apenas uma.

"A Vila Perdida"

Espalhando-se atrás das irmãs, embrenhada na névoa e na escuridão, está uma vila. A vila que desapareceu. All God's Village. Esta vila esteve na floresta, escondida nas montanhas. Essa floresta será derrubada para a criação de uma represa.

A história segue, no dia de uma cerimônia especial, a vila desapareceu de repente, deixando a floresta presa em uma névoa grossa.

Muitos dizem que se acontecer de você ficar perdido na floresta, você será guiado (Spirited Away) para a vila.

A vila onde borboletas vermelhas dançam. A vila que repete sempre e sempre a mesma cerimônia.

Fatal frame III - The tormented [2005]

Rei Kurosawa perdeu seu noivo num acidente de carro. Aquele fatídico dia do acidente. Que ela provocou, já que estava dirigindo.

Rei é uma fotógrafa independente (Freelance), e um dia, recebeu um trabalho no qual deveria fotografar uma antiga mansão japonesa. Existe um boato no qual diz que essa mansão, situada nas montanhas e a milhas de qualquer civilização, é assombrada.

Um dia, enquanto trabalha, Rei vê algo inexplicável: seu noivo, Yuu Asou. E pelo o que ela sabe, ele está morto.

Seguindo seu amor falecido, Rei percebe que ela vagueou e penetrou cada vez mais nas ruínas da mansão abandonada. No final de um corredor, ela vira e de repente a visão dela muda. A neve está caindo fortemente, e na frente dela, estão muitas e muitas lápides.

O lugar não se parece nem um pouco com a mansão daonde ela tirava fotos até agora.
Então, Rei começa sua busca por Yuu.

Fatal frame IV - Mask of the lunar eclipse [2008]

10 anos atrás, cinco garotas foram capturadas e mantidas seqüestradas por um criminoso em uma casa misteriosa na ilha Rougetsu, localizada no sul de Honshu. Elas foram salvas por Chōshiro Kirishima, um detetive. Depois de alguns anos passados do incidente, duas garotas, Marie Shinomiya e Tomoe Nanamura, morreram misteriosamente. As três garotas restantes, Ruka Minazuki, Misaki Asō e Madoka Tsukimori, todas com 17 anos de idade agora, retornam para a ilha para recordar suas memórias perdidas e descobrir sobre o seqüestro. Chōshiro segue as garotas a procura da mãe de Ruka, Sayaka Minazuki.

A lenda por trás do jogo:

Fatal Frame é basicamente baseado na história verdadeira (e também não lenda) que cerca a mansão Himuro, no Japão. Há rumores de a mansão ser o palco das mortes violentas de uma família japonesa e vários de seus associados, algumas décadas atrás.

A família Himuro participava de um específico e enigmático ritual xintoísta com o nome de "Ritual de Estrangulamento", que era usado para selar o karma ruim da Terra. O Karma, chamado "Malice" (ou Malícia), emergiria em uma data específica perto do final do ano de um portal no jardim interno da mansão. Para prevenir isso, uma donzela era escolhida ao nascer e isolada do mundo externo para ser criada como um cordeiro para sacrifício. Isso era feito para prevenir que ela, a "Donzela do Santuário da Corda", adquirisse qualquer ligação com o mundo externo, o que arruinaria o ritual. Antes do "Ritual de Estrangulamento", outra donzela era escolhida para o "Ritual do Demônio Cego" que, ao ser amarrada, sua face era forçada contra uma máscara de madeira com espetos nos locais onde deviam estar os olhos. A relação dessa prática com o "Ritual do Estrangulamento" não é conhecida, mas aparentemente era necessária para o sucesso.

Após o tempo certo ter passado, chegaria o dia do "Ritual do Estrangulamento" para a "Donzela do Santuário da Corda", onde ela seria atada por cordas nos seus pulsos, tornozelos e pescoço. As cordas eram amarradas a times de bois, que puxavam radialmente do corpo da menina, arrancando seus membros de seu corpo. Não é conhecido se ela estava morta antes de seus membros serem arrancados, entretanto, é lógico que a corda do pescoço a sufocaria, apesar de ela estar sentindo uma dor agonizante. As cordas usadas para amarrar seus apêndices seriam ensopadas com seu sangue e cruzadas no portal da Malícia. Mas o portal só permaneceria fechado por aproximadamente 75 anos antes de o ritual se repetir. Por gerações, essa tradição era passada pela família Himuro, o chefe da família sempre participava dos procedimentos.

Porém a honra da família levou ao desastre. Durante o último "Ritual de Estrangulamento" registrado, é dito que a "Donzela do Santuário da Corda" avistou um homem do lado de fora da mansão vários dias antes do ritual. Ela se apaixonou por ele, e seu novo apegamento à Terra manchou seu sangue e seu espírito; o ritual e seu sacrifício falharam miseravelmente. O chefe soube do acontecido e perdeu sua sanidade. Ele correu pela mansão assassinando sua família, os sacerdotes, e qualquer desafortunado que estivesse visitando a mansão na ocasião. Envergonhado com sua falha de prevenir a calamidade, ele caiu sobre sua própria katana, cometendo o harakiri. A Família Himuro e os rituais performados por ela agora estavam mortos. As pessoas locais ficaram quietas quanto a história, e eles não estavam nada ansiosos para descobrir detalhes das mortes. Ainda hoje, esforços são feitos para descobrir mais informações sobre a família e sua tragédia, mas os registros são poucos.

0 Gritos:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favoritos More

 
Powered by Blogger